Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/11/19 às 15h29 - Atualizado em 26/11/19 às 15h40

CED 07 do Gama vence no segundo dia de Festival de Curtas

COMPARTILHAR

Unidade levou o prêmio de melhor filme em duas categorias seguidas

 

Nathália Borgo, Ascom/SEEDF

 

Esta terça-feira (26/11) foi o último dia do 5ª Festival de Curtas das Escolas Públicas do Distrito Federal e a vez do ensino fundamental premiar os melhores trabalhos audiovisuais realizados pelos estudantes. Ao longo de cinco anos, mais de 10 mil participantes e mais de 600 produções foram inscritas nas edições do evento, realizado em parceria entre a Secretaria de Educação e a Secretaria de Cultura. O festival é fruto da política de educação audiovisual implantada pela SEEDF nas escolas.

 

O coordenador do evento, Gleison Cardoso, da Gerência de Produção e Difusão de Mídias Pedagógicas da SEEDF, contou que obras passadas já foram apresentadas ao mundo inteiro. “Este ano fui ao Rio de Janeiro e a gente foi homenageado no Festival Internacional Pequeno Cineasta. Os filmes de vocês ganharam o mundo, não somente a tela do Cine Brasília, templo do cinema nacional. Foram para a Espanha, Itália, Portugal e Chile”, relatou aos presentes.

 

Professor do sistema socioeducativo e mediador do curta Palavras em Liberdade, Rodrigo Xavier. Fotos: Carlos Marcos

 

É o caso do longa Palavras em Liberdade, produzido por estudantes do sistema socioeducativo e adaptado para competir no Festival de Curtas. Segundo o coordenador, a história das cartas escritas e lidas por meninos encarcerados foi assistida por mais de 11 mil pessoas. A ideia era fazer com que o socioeducando escrevesse para um ente querido ou para o próprio passado mensagens de alerta ou lições de vida. Deu certo. A produção venceu o prêmio de melhor fotografia no Festival de Curtas das Escolas Públicas de 2019.

 

“O prêmio reverbera o próprio sistema. A gente trabalha com o resgate da autoestima, da humanidade. Quando falamos em liberdade, entramos no discurso sobre o que queremos para a vida. A escola faz parte desse processo para eles. A educação é fundamental para o sócio educativo”, contou o professor de artes visuais, Rodrigo Xavier. A produção do vídeo contou com 11 alunos do sistema, do 6º ao 9º ano, em todas as etapas, inclusive na montagem.

 

Deu ship na inclusão

 

O bullying também foi tema de destaque nesta edição do festival. No curta Intervalo, do CED 02 do Riacho Fundo I, a  frase “todo mundo odeia a Bia” – uma menina com síndrome de down – gerou repúdio não somente no amigo autista na trama, mas, também, em todos os estudantes que estavam na sala do Cine Brasília.

 

Vinícius Alves, 9º ano do CEF 11 de Ceilândia, trabalhou em Juntos somos mais fortes. Fotos: Carlos Marcos

 

Quando o estudante Vinícius Alves, do 9º ano do CEF 11 de Ceilândia, começou a dançar no vídeo para evitar as provocações dos colegas praticantes de bullying, em Juntos Somos Fortes, todo mundo entrou na onda e balançou as cadeiras do cinema. Campeão na melhor abordagem do tema, a ideia do trabalho dos estudantes do CEF 11 de Ceilândia era mostrar que a escola que eles querem é um espaço de respeito e cooperação. “Falamos sobre uma escola com problemas que precisam ser reparados. Desejamos um lugar onde haja mais respeito”, reforçou o estudante e ator principal da produção.

 

Campeão do ensino fundamental

 

A Reunião, curta do CED 07 do Gama foi vencedor em duas categorias como melhor filme. Fotos: Carlos Marcos

 

O melhor filme do ensino fundamental escolhido pelo júri popular e pela comissão julgadora do 5º Festival de Curtas das Escolas Públicas do DF chama a atenção dos docentes. “A Reunião”, curta produzido por 10 estudantes do CED 07 do Gama, encena o que deveria ser uma organização empenhada no ensino dos alunos. “Nossa mensagem é para que os professores não percam o foco na escola que queremos. Um lugar onde todos participam, com motivação e empenho, uma educação melhor”, afirmou a atriz Ketlyn Fidélis, estudante do 9º ano na unidade vencedora.

 

Professora do CED São Francisco, em São Sebastião, Ghisa Porto, homenageada pelo Festival de Curtas. Fotos: Carlos Marcos

 

Este ano, o festival homenageou a professora Ghisa Porto, do CED São Francisco, em São Sebastião (DF). A professora criou na unidade o festival Chica de Ouro, onde os estudantes e toda a comunidade escolar participam. “Quando a gente tem um sonho com a educação, queremos que ele tenha as próprias pernas. É muito importante ver a arte se manifestar pela voz de vocês alunos”, disse emocionada. Como agradecimento, Ghisa pediu que cada estudante simulasse um abraço na pessoa mais importante no Cine Brasília, ele mesmo.

 

Como premiação, todos os vencedores desta terça-feira receberam bolsas de estudo para um curso de edição de vídeo da Escola de Criação em Audiovisual 70 MM. A oficina será ministrada para os campeões em 7 de dezembro deste ano.

 

Destaques do Ensino Fundamental

Categoria Filme Aluno/Escola
Montagem Escola Silenciosa Vinícius Xavier – CEF 113 do Recanto das Emas
Fotografia Palavras Em Liberdade Centro Educacional Stella dos Cherubins – UIP Planaltina
Ator O que está dentro, está fora Pedro Víctor – CEF 04 Planaltina
Atriz Chapeuzinho on Line Débora Silva – CEF 04 Planaltina
Roteiro Uma escola sem piolhos Evellynne e Gabrielle –- CEF 209 Santa Maria
Desenho de som Juntos Contra a Dengue Raissa Silva de Jesus –– CED 04 Sobradinho
Direção Labirinto Fernanda Frazão – CEF 01 Planaltina (Centrinho)
Abordagem do Tema Juntos Somos Fortes CEF 11 Ceilândia
Melhor Júri Popular A Reunião CED 07 Gama
Melhor Comissão Julgadora A Reunião CED 07 Gama

 

📷 Veja mais fotos da premiação