Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/02/19 às 11h54 - Atualizado em 8/02/19 às 13h08

CED 7 diz sim para a gestão compartilhada

COMPARTILHAR

352 pessoas votaram a favor da implementação do projeto. Foto: Luis Tavares, Ascom/SEEDF

De Guilherme Marinho, Ascom/SEEDF,

 

A comunidade escolar escolheu, por meio das urnas, que a unidade de ensino irá adotar o projeto em parceria com a SSPDF. Quase 60% dos votos foram favoráveis

 

O Centro Educacional (CED) 7 de Ceilândia foi a quarta escola pública do Distrito Federal a decidir por adotar o modelo de gestão compartilha entre a Secretaria de Educação (SEEDF) e a Secretaria de Segurança e da Paz Social (SSPDF). Nesta quinta-feira (8), pais ou responsáveis, estudantes, professores e servidores puderam opinar por meia das urnas e 58,46% dos participantes disseram sim para o projeto. O resultado final foi de 352 votos a favor da implementação e 274, contra. A votação aconteceu das 8h às 20h. Durante as 12 horas do pleito e na apuração dos votos, tudo correu com tranquilidade e sem tumulto.

 

A partir de segunda-feira (11), a unidade, que atende cerca de 2.300 alunos, passará a se chamar Escola da Polícia Militar CED 7 de Ceilândia. O projeto tem o objetivo de proporcionar uma educação de excelência para os estudantes da rede pública de ensino do DF, além de construir estratégias voltadas ao policiamento comunitário e ao enfrentamento da violência no ambiente escolar. A meta é promover uma cultura de paz e o pleno exercício da cidadania.

 

Destinado a estudantes do 6º ao 9º anos do ensino fundamental e do ensino médio, o projeto será implementado a partir do início do ano letivo de 2019. A princípio, quatro escolas receberão o projeto, mas, posteriormente, ele poderá ser ampliado para outras unidades escolares. São o CED 7 de Ceilândia, o CED 1 da Estrutural, o CED 3 de Sobradinho e o CED 308 do Recanto das Emas.

 

Em todas as escolas houve participação massiva da comunidade escolar. Diretores, professores, estudantes e pais ou responsáveis de alunos se reuniram para decidir democraticamente, por meio de votação, se o projeto deveria ser adotado nas escolas. No Recanto, a comunidade escolar aprovou a implementação do projeto por meio de um abaixo-assinado, com cerca de 1.400 assinaturas de pais ou responsáveis pelos estudantes. No CED 3 de Sobradinho e no CED 1 da Estrutural, as votações foram realizadas em 5 de fevereiro, também a favor do projeto.

 

O custo estimado para a implementação do Projeto Piloto de Gestão Compartilhada é de R$ 200 mil por escola, ao ano. A verba ficará a cargo da Secretaria de Segurança. Cada unidade vai receber entre 20 e 25 militares que contribuirão para a formação dos estudantes. Os uniformes serão diferenciados e gratuitos.