Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/05/20 às 20h05 - Atualizado em 25/05/20 às 17h47

Consulta Pública do plano de volta às aulas é prorrogada até 27/5

COMPARTILHAR

A consulta é específica para o ensino remoto, que será contado como horas letivas, incluindo aulas pela TV e plataforma

 

Málcia Afonso, Ascom/SEEDF

 

Quem quiser colaborar na construção do plano de volta às aulas – ensino mediado por tecnologia da rede pública do Distrito Federal tem oportunidade até a próxima quarta-feira (27/5). A Secretaria de Educação decidiu prorrogar o prazo de envio das contribuições, que terminaria no domingo.

 

Clique, veja o plano e opine

 

Sugestões e críticas podem ser enviadas para este e-mail: consultapublicaseedf@edu.se.df.gov.br

 

A consulta é específica para o ensino remoto, que será computado como horas letivas, incluindo aulas pela televisão e pela plataforma Google.

 

Para os estudantes da Educação Infantil, do 1º ao 9º do Ensino Fundamental, da 1ª a 3ª série do Ensino Médio e dos segmentos da Educação de Jovens e Adultos – EJA, serão veiculadas teleaulas, de segunda a sexta-feira, por, pelo menos, quatro canais de televisão. Todas as aulas serão ao vivo e, em até 24 horas, serão disponibilizadas via plataforma Google e pelo canal da SEEDF no Youtube.

 

Em breve, a Secretaria irá disponibilizar os pacotes de dados para acesso à plataforma e, também, fechar as parcerias para transmissão de conteúdos por, pelo menos, quatro canais de televisão.

 

Sobre a plataforma, atualmente em uso pelo Ensino Médio, a partir de 30 de maio, a ferramenta será disponibilizada para os anos finais do Ensino Fundamental.

 

Tanto a plataforma quanto as teleaulas terão conteúdos voltados também à Educação de Jovens e Adultos (EJA), Educação Especial e Ensino em Tempo Integral.

 

A periodicidade e a organização de entrega de atividades aos estudantes deverão ser definidas pela escola, desde que ocorram no máximo até o fim de cada bimestre. A exceção é o período inicial. Após 15 dias do início do período de validação das aulas, em uma busca ativa das aprendizagens, os professores deverão fazer uma análise diagnóstica para identificar estudantes que estejam enfrentando dificuldades relacionadas às atividades mediadas.

 

Não haverá realização de provas tradicionais e vigiadas. Cada professor irá estabelecer seus critérios de avaliação. A logística da entrega do material impresso para os estudantes que não conseguirem acessar a plataforma será articulada pela SEEDF junto às regionais de ensino e escolas.