Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/02/20 às 16h00 - Atualizado em 13/02/20 às 19h31

Escolas do Paranoá e do Itapoã entram reformadas no ano letivo

COMPARTILHAR

Com investimentos de R$ 1,4 milhão, obras beneficiam 26 mil alunos da rede pública de ensino das duas cidades

 

Gizella Rodrigues, da Agência Brasília

 

Reformas contemplam tanto as instalações internas quanto as áreas externas das escolas| Fotos: Tony Oliveira / Agência Brasília

 

Os 26 mil alunos matriculados nas escolas da rede pública do Paranoá e do Itapoã encontraram, na última segunda-feira (10), um novo ambiente escolar que proporcionará um melhor aprendizado durante o ano letivo de 2020. O GDF investiu cerca de R$ 1,4 milhão na reforma dos colégios, que são ligados à mesma Coordenação Regional de Ensino (CRE), a do Paranoá.

 

Das 35 escolas existentes nessas cidades, 23 – 65% do total – passaram por reformas durante as férias escolares. A maioria das obras consiste em pequenos reparos, como pintura das paredes e muros, troca de pisos, adaptação de salas de aula e reforma nos banheiros, nos parquinhos e na cozinha.

 

“Os diretores sempre aproveitam as férias para dar cara nova às escolas e fazer a manutenção das instalações”, explica a assessora da CRE do Paranoá, Isabel Guimarães Souza. “Fazem pintura, reforços na estrutura elétrica e hidráulica, reforma de banheiros. Tudo que não for alterar a estrutura da edificação pode ser feito.”

Sem interrupção

 

A verba vem de duas fontes: o Programa de Descentralização Financeira e Orçamentária (Pdaf) da Secretaria de Educação (SEE) e emendas parlamentares elaboradas pelos deputados distritais e pagas com recursos do GDF. “As obras feitas durante as férias também garantem que não haja interrupção do ano letivo”, ressalta Isabel.

 

Com apenas R$ 60 mil destinados por meio de emenda parlamentar, a diretora da Escola Classe 03 (EC) do Paranoá, Maria Vanilda Vieira Amaral, conseguiu reformar o banheiro dos professores, pintar a escola, revitalizar os murais e trocar o piso de sete salas de aula, que era revestido de pedra ardósia e agora é de granitina, uma mistura de cimento, pó de mármore e rochas minúsculas.

 

“Agora é mais fácil de limpar e é muito mais seguro para as crianças”, relata a diretora. “Antes, a ardósia estava toda quebrada e apresentava o risco de acidentes, porque muitos alunos vêm para a escola de chinelinhos – nem todo mundo tem tênis.”

 

Escola Classe 03: piso renovado e novos aparelhos nas salas de aula

 

Melhorias para todos

 

O banheiro das professoras também foi reformado – até então, tinha apenas dois boxes, e agora são seis boxes e mais um chuveiro. “Tenho 60 professoras aqui que são mulheres; não dava para elas usarem um banheiro com apenas dois sanitários”, detalha Vanilda. “Os homens ficaram com o banheiro anterior, pois são apenas quatro professores do sexo masculino”.

 

Diretora da escola desde 2017, ela já fez obras em quase toda a unidade com o dinheiro das emendas parlamentares. Ano passado, reformou o pátio, a cozinha, a sala dos professores e a secretaria. “Vamos fazendo as melhorias aos poucos correndo atrás de parceiros. Nosso sonho é colocar cobertura na nossa quadra de esportes, o que pretendo fazer até o final do ano”, diz.

 

A dedicação é reconhecida pela comunidade, que não picha os muros do colégio e até ajuda a manter um jardim feito por alunos e professores na parte de fora da escola. “Essa é a escola mais disputada do Paranoá”, orgulha-se a diretora do colégio onde estão matriculadas 728 crianças de 4 a 12 anos. “Todo mundo quer estudar aqui; as pessoas acham que é colégio particular”.

 

Centro de Ensino Médio

 

Dannilo Alves, 17 anos, estuda no Centro de Ensino Médio (CEM) 01 do Paranoá desde 2018. Aluno do terceiro ano, ele pretende cursar tecnologia da informação na Universidade de Brasília (UnB) em 2021 e acredita que a boa estrutura da escola ajuda seu rendimento escolar. “Essa escola é muito boa, os professores são incríveis, os alunos costumam se sair bem no Enem e o índice de aprovação em vestibulares é alto”, resume. “Certamente o ambiente escolar auxilia nisso, a escola está sempre arrumadinha”.

 

Com 2,2 mil alunos matriculados nos três turnos, o CEM 01 tem ar-condicionado, aparelhos de TV e projetores nas salas de aula. Este ano, a escola recebeu R$ 100 mil e, com o dinheiro, a direção fez uma ampla reforma. Pintou completamente a parte interna e externa da instituição, incluindo as 18 salas de aula, os dois laboratórios, a sala de cinema, as ferragens, o telhado e o muro.

 

CEM 01 do Paranoá: salas revitalizadas são parte das obra que renovaram a escola | Foto: Tony Oliveira / Agência Brasília

 

Além disso, foram revitalizados os seis murais nos quais são colocados avisos para os estudantes – como vagas de estágio – e os bancos que ficam na porta das salas de aula. “Eles são de ferro e o assento é de madeira”, conta o diretor do CEM 01, Samuel Moraes. “As estruturas não eram reformadas havia três anos e alguns bancos tinham até buracos”.

 

Ainda nessa escola, foi substituído o tampo de uma das mesas de ping-pong, e a secretaria do colégio, onde o público é atendido, está sendo reformada. O guichê, que era fechado por grades, vai ganhar um blindex. “O dinheiro também foi usado para a compra de materiais, como papel e toner para as impressoras, e não foi todo usado”, relata o diretor. “Ainda vamos fazer reparos nos banheiros”.