Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/02/19 às 14h57 - Atualizado em 11/02/19 às 17h03

Rafael Parente abre ano letivo no CEMI Gama, a escola que aprovou 66 alunos na UnB

Thaís Rohrer, Ascom/SEEDF

 

Esse número deve chegar a 80 estudantes após o resultado da 2ª chamada do PAS. Se chegar lá, 63% dos terceiranistas da escola terão realizado o sonho de entrar na universidade

 

 

Aquela animação e ansiedade típicas do primeiro dia de aula eram partilhadas pelos estudantes da rede pública nesta segunda-feira, 11. São cerca de 460 mil crianças e jovens matriculados em 2019. O volta às aulas teve a visita do secretário de Educação do DF, Rafael Parente, no Centro de Ensino Médio Integrado do Gama (Cemi), escola referência no modelo de gestão compartilhada com muito engajamento dos estudantes, docentes, comunidade e demais servidores que atuam no local. Antes, Rafael esteve no CED 1 da Estrutural, uma das quatro escolas do programa de gestão compartilhada com a Secretaria de Segurança.

 

Rafael ao lado do diretor Carlos Lafaiete e de Paulo Damasceno, o aluno autista que passou para engenharia de redes na UnB. Foto: Luis Tavares, Ascom/SEEDF

O Cemi Gama já tem 66 aprovados na UnB que vão ingressar na universidade no primeiro semestre de 2019. Há expectativa de que esse número chegue a 80 estudantes após o resultado da segunda chamada do PAS. Se o número for confirmado, a escola terá aprovado 63% de seus alunos do terceiro ano do Ensino Médio. Além disso, outros jovens do Cemi foram aprovados em universidades públicas do país e conquistaram bolsas nas faculdades particulares por boas notas no Enem.

 

“Nosso sonho é oferecer uma educação de excelência para todos e em todas as cidades do DF. Não podemos deixar ninguém para trás. Nosso objetivo é desenvolver as habilidades dos estudantes da melhor maneira”, destaca Rafael Parente.

 

São muitos talentos espalhados entre os estudantes da rede pública. Paulo Damasceno é um deles, foi aprovado para engenharia de redes de comunicação na UnB. “Fiquei tão feliz quando vi que estava aprovado. Tive apoio de muitos aqui na escola durante todo o processo e também da minha mãe que batalhou junto comigo”, conta Paulo.

 

A mãe de Paulo, Eva Damasceno, também estava no Cemi na voltas às aulas para comemorar com os professores a conquista do filho: “Estou tão orgulhosa. Me sinto realizada ao ver o resultado do Paulo. Ele passou por cima da opinião daqueles que pensavam que ele não conseguiria chegar na universidade por ser autista. É uma vitória”, comenta.

 

Outro estudante da rede pública, Samuel Sales, será o mais novo estudante do curso de Direito. Foi na escola pública que ele teve a oportunidade de desenvolver um projeto de uso sustentável da água ao observar o desperdício. Ele e outros colegas criaram um sistema de aproveitamento de água para irrigação. O projeto já conquistou duas premiações, nacional e internacional.

 

Samuel foi hoje no Cemi do Gama conversar com outros estudantes e inspirar os colegas a seguirem seus sonhos. “Tenho orgulho do que vivi na escola e tenho projetos ousados para contribuir com a sociedade no futuro”, afirma.

 

GESTÃO COMPARTILHADA – Neste volta às aulas também começou a funcionar o Programa das Escolas de Gestão Compartilhada. O projeto é uma parceria entre as secretarias de Educação e Segurança Pública. Uma cerimônia de inauguração do projeto-piloto aconteceu no Centro Educacional 1 (CED 1) da Estrutural, uma das escolas que tem essa Gestão.

 

“A Escola de Gestão Compartilhada é um modelo aprovado pela população, estudantes e corpo docente. Esse projeto tem o apoio da sociedade para trazer qualidade e excelência na educação”, frisa Paco Britto, vice-governador do DF.

 

Esse modelo de gestão compartilhada vai construir estratégias voltadas ao policiamento comunitário e ao enfrentamento da violência no ambiente escolar. O objetivo é promover uma cultura de paz e o pleno exercício da cidadania.

 

“A educação é, de fato, indispensável para desenvolvimento do indivíduo. Queremos contribuir com civismo, patriotismo, respeito e disciplina. Um estudante comprometido e disciplinado vai melhor na escola e tem mais tempo para brincar”, comenta coronel Alexandre Ferro, comandante do Batalhão Escolar.

 

A diretora do CED 1 também falou sobre a inciativa da Escola de Gestão Compartilhada: “Os protagonistas continuarão os mesmos na escola, estudantes e professores, essa gestão só vai somar. Nosso sonho está se tornando realidade”, diz Estela Accioly.