Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
31/05/19 às 18h51 - Atualizado em 31/05/19 às 18h51

Tecnologia também é coisa de menina

COMPARTILHAR

Aldenora Moraes, Ascom/SEEDF

 

Filha de uma dona de casa e um pai autônomo, a estudante do Centro Educacional do Lago Norte (Cedlan), Iasminy Fernandes, com 18 anos recém completados, sonha em ingressar efetivamente no universo da tecnologia. “É uma das minhas primeiras opções no vestibular”, confidencia.

 

Alunas de escolas públicas participam de oficinas sobre o uso das tecnologias. Foto: Luis Tavares, Ascom/SEEDF

A estudante é uma das 100 adolescentes que participam do Workshop em Tecnologia TIC TAC Weekend Camp. A sigla do evento dá o tom da iniciativa: Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e Transformação, Acesso e Conhecimento (TAC). “Vejo como uma grande oportunidade e me senti muito acolhida. Agora sei que posso conquistar qualquer espaço que eu queira, inclusive a tecnologia. Sei que essa é a área do futuro e poderei estar lá, ocupando esse espaço”, destacou.

 

O desejo de Iasminy é legítimo porque, segundo as estatísticas, há uma enorme diferença entre o quantitativo de homens e mulheres conectados à internet. Estima-se que há menos 250 milhões de meninas conectadas à internet.

A hora chegou

Para reduzir essa desigualdade, nesta quinta e sexta, as jovens do Cedlan, do CED 07 de Taguatinga, do CEF 25 de Ceilândia e do Instituto Federal de Brasília (IFB) compareceram ao Campus Ceilândia, um dos parceiros da ação, liderados por uma das agências das Nações Unidas, a União Internacional de Telecomunicações (UIT), com o apoio da Organização das Nações Unidas Mulheres (ONU).

 

Rodas de conversa abordam temas como liderança, violência contra as mulheres e independência financeira. Foto: Luis Tavares, Ascom/SEEDF

De acordo com a coordenadora do TIC TAC no Brasil, Ana Veneroso, o evento é uma forma de ampliar a campanha internacional organizada pela UIT, que se chama Dia das Meninas nas TICs. “O principal objetivo é promover o empoderamento feminino por meio das TICs, atraindo meninas de escolas públicas para compreenderem o universo da tecnologia e para que participem de oficinas de diferentes temas: robótica, histórias digitais, desenvolvimento de aplicativos e que possa ser gerado um produto delas”, conta Ana.

 

As oficinas contemplaram temas como digital storytelling, programação com Scratch e APP inventor, Mindfulness e Scratch e montagem e programação de uma estação metereológica de baixo custo.

 

Um dos destaques dessa edição é a oficina sobre liderança “Somos todas líderes” e a promoção de rodas de conversas que possibilitam, de maneira descontraída, a abordagem de temas como independência econômica, violência contra a mulher e autoanálise.

 

Como a metáfora utilizada pelos coordenadores do projeto ao utilizarem as siglas TIC TAC, a nova geração de meninas já compreendeu que a hora das mulheres, finalmente, chegou.

Tic Tac Workshop em Tecnologia